Retenção Urinária


 

É caracterizada retenção urinária quando há uma diminuição na frequência urinária (ou seja, quando urina-se menos de quatro vezes ao dia), e/ou quando após a micção restam ainda na bexiga mais de 50 ml de urina (o que chamamos resíduo miccional aumentado).

São diversas as causas da retenção urinária. É comum, por exemplo, que aconteça uma retenção de algumas horas após quaisquer cirurgias que utilizem anestesia raquimedular (que paralisa temporariamente da cintura para baixo). Mesmo após passado o efeito da anestesia pode haver dificuldade para começar o ato de urinar, em virtude da ação do anestésico sobre a bexiga. Esse tipo de retenção desaparece por completo normalmente nos primeiros dias.

Em alguns tipos de prolapsos, especialmente os que comprimem bexiga ou uretra, o resíduo miccional pode estar aumentado em virtude da dificuldade de fazer a urina passar pelo local da compressão e ser eliminada.

Evitar de urinar simplesmente por vergonha ou por estar fora de casa é a causa mais comum de retenção urinária entre as mulheres.

Mas a causa mais comum de retenção urinária entre as mulheres está ligada a fatores puramente psicossociais. Ou seja: o problema é comportamental.

Exemplos de comportamentos que podem gerar retenção urinária:

  • Urinar em pé: não permite o total relaxamento da musculatura do assoalho pélvico (MAP) e dos abdominais necessária à micção normal. O resultado é que resta na bexiga uma quantidade de urina maior do que a normal, aumentando o resíduo miccional.
  • Evitar urinar fora de casa: Segurar a urina por tempo demais, faz com que o desejo miccional (aquela vontade de urinar que é sentida sempre que a bexiga está cheia) seja inibido. O resultado é que a bexiga vai, com o tempo, perdendo esta sensibilidade e a frequência normal de micções diárias vai diminuindo.
  • Sentar no vaso e deixar a calcinha na altura dos joelhos, ou mesmo lá embaixo nos tornozelos, não permite que as pernas sejam abertas suficientemente. Para que a urina saia com facilidade não basta estar apenas confortavelmente sentada: as pernas precisam estar afastadas (no mínimo dois palmos uma da outra) e os cotovelos apoiados nos joelhos, em posição de descanso. Para tanto, é necessário que se tire a calcinha, pelo menos de um dos tornozelos.

O resultado de todos esses comportamentos miccionais inadequados é a diminuição da sensibilidade da bexiga (que faz com que não se perceba mais corretamente a hora de urinar, ou seja, quando a bexiga está cheia e deve ser esvaziada).

Como a retenção é normalmente causada por comportamento inadequado, a primeira etapa é tratar a parte psíquica do problema, ou seja, fazer a chamada reeducação miccional. Estar atenta para perceber e reconhecer o desejo miccional (vontade de urinar) e respeitar este momento é fundamental. Conhecer a técnica correta de se sentar para urinar, de maneira relaxada e despreocupada, também requer treino e é uma prática que deve ser exercitada continuamente.

Em seguida devem ser identificados os componentes físicos do problema. Um médico ginecologista ou fisioterapeuta especialista podem solicitar exames que mostrem com precisão se o resíduo miccional está aumentado, se a complacência (elasticidade) da bexiga está diminuída, se as contrações da bexiga durante o ato de urinar estão corretas e se o tônus da MAP está normal.

Alteração em qualquer uma destas variáveis pode estar causando a retenção urinária, e felizmente existe tratamento a partir de fisioterapia para todas elas.

Procure uma fisioterapeuta pélvico próximo de você!!

http://www.perineo.net

MARQUE UMA CONSULTA COM NOSSOS PROFISSIONAIS